Começo... fim

Começo, fim, começo, fim... é a vida!
Quando cheguei em Harrow nem imaginava como ia ser. E já foi.
Hoje foi meu último dia na estação, tudo com gosto de despedida.
Última vez que pisei na estufa, que olhei as abelhas, que colhi os tomates. Olhei para eles e pensei "vou sentir sua falta". Olhei para trás satisfeita. Fiz tudo o que podia, da melhor maneira que consegui.
É engraçado como começamos a apreciar algo quando está no fim.
Olhei tudo com um olhar diferente hoje.
Tive alguns dias que desejei não estar aqui, outros que não me via em outro lugar.
Alguns dias que sofri de solidão, outros que agradeci estar sozinha, bem comigo mesma.
No almoço desejei ter curtido mais as pessoas, mas acredito que para amizades o tempo aqui é diferente, não teria conseguido apressar as coisas. Talvez esteja errada, que pudesse, mas tenho essa mania de achar que não posso conquistar as pessoas, sempre deixo elas chegarem aos poucos.
Ganhei um cartão de despedida. A mensagem da Jac foi "não me deixe". Ela não se conforma com os defeitos daqui.
Antes de vir embora mandei um email coletivo para a estação, agradecendo todos que me ajudaram.
Quando peguei minhas coisas para vir embora, sem meu crachá pendurado no bolso me deu um certo aperto no coração. No caminho lembrei dos diferentes dias voltando para casa. Alguns dias muito frios, quando tudo ainda não tinha folhas. O vento batia no meu rosto congelando e só escutava o barulho desse vento! E eu pensava que ia sentir falta do frio e do vento. Vento nos cabelos em dias menos frios, vento ensudecedor. Nem precisei ir embora para sentir falta do frio. O vento continua aqui, refrescando! Agora com tudo verde, florido e com um perfume no ar... a primavera! Sempre vinha pensando na vida. Alguns dias satisfeita, alguns dias revoltada, alguns dias em que algumas lágrimas rolaram do meu olho pensando na minha volta para casa.
Último dia. Olho para cada objeto, cada cantinho tentando memorizar para nunca esquecer.
Não vou sentir saudades da solidão que senti, de ficar entediada por não ter nada para fazer e ninguém para conversar ao vivo, da vontade de ganhar um abraço, mas vou sentir falta da paz que tive para ir na academia, para trabalhar, para andar calmamente na rua, para pintar meus cabelos, cuidar de mim, comer melhor e das últimas semanas que tive o que fazer, que vi lugares lindos, que convivi com pessoas muito legais e que me trataram tão bem. Anjinhos que sempre tenho sorte de encontrar.
Vamos ver como será em Guelph, praticamente o último mês . O que vem, o que vai...

Sai em uma revista, Greenhouse Canada, página 14 http://www.mydigitalpublication.com/publication/?m=1281&l=1

Comentários

leandro disse…
Oi tudo bem pá.. eu gostei deste post, é triste ir embora, mas é bom ter esperança e desafios novos pela frente é assim a vida, parabens pela reportagem da revista, bem legal..
Um beijo, se cuide.

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Desconstruindo