Orgulho

Julgamos e somos julgados. Atitudes. Justiça. Os dois lados da moeda. Enxergamos só um. Por vontade ou possibilidade. Especialmente quando se trata de nós mesmos. Nos achamos o umbigo do mundo. O centro das atenções. A última bolacha do pacote.
Muitas vezes não tentamos entender os outros. Às vezes tentamos e não entendemos. E tudo bem, mas é preciso respeitar. Não sermos tão orgulhosos. Tão vaidosos. Tão arrogantes. Tão “donos da verdade”.
Não explicamos como nos sentimos. Queremos que o outro adivinhe. E quando explicamos a sinceridade é vista como grosseria.
Também há uma grande dificuldade em respeitar que o outro quer fazer outra coisa, especialmente quando é outra coisa que não envolve sua companhia.
Bonito é ser grosso sem razão, por qualquer motivo. Apelar, como dizem. Desprezar dizendo que não pode, que a agenda está lotada. Dar desculpas. Se sentir importante por estar agindo assim. Tentando fazer o outro se sentir menos para se sentir mais ou melhor, para se sentir o dono da razão, o justo. Ao invés de enfrentar o problema. Admitir que está chateado, magoado e que gostaria de entender ou saber o que está acontecendo.
Falta respeito nesse mundo. Há muito orgulho e vaidade. E na maioria das vezes não há conversa. Há “patada”. Há revanche. Há afastamento.
Ninguém é perfeito. Todo mundo erra. Todo mundo magoa. Nem todo mundo consegue admitir. E nem todo mundo tem a capacidade de perdoar. De verdade.
E há falta de tentar mudar! É difícil admitir que erramos. Que precisamos melhorar. É bem mais fácil dizer “sou assim e ponto final”, “sou justo”. A justiça infelizmente não é cega.
E assim vamos perdendo oportunidades de aprender, de crescer, de evoluir. E momentos maravilhosos. Pois é assim que criamos laços. E amamos. E mantemos a consciência limpa. E é isso que é a felicidade.

Demon: "Here is Johnny" (Aqui está Johnny)
Demon looks up at the roof and see the devil trap. (O demônio olha no teto e vê a armadilha para demônio)
Demon: "Come on... you really think something like that it's going to fool someone like me? ..... I mean, me?" (Qual é... you realmente acha que algo assim vai enganar alguém como eu? ... quero dizer, eu?)
Sam: I guess you're Pride. (Acho que você é o Orgulho)
Demon: Pride, the root of all sins. (Orgulho, a raíz de todos os pecados)
The magnificent Seven - episode 1, season 3 - Supernatural. (Os magníficos sete - episódio 1, temporada 3 - Sobrenatural).
PS: minha série favorita!

Comentários

Izabela e Julia disse…
acho q é impossivel ser o temnpo todo amavel... mas seria bom q todas as grosserias viessem acompanhadas de um pedido de desculpa...
as minhas infelizmente ainda não vem :(

beijos e bom final de semana
Pri disse…
Post muito bom, as vezes temos esse tipo de atitude sem nos dar conta, tento controlar o meu orgulho, acho que pessoas orgulhosas sofrem muito, mais do que fazem os outros sofrer... Nunca assisti ao seriado, fiquei curiosa!

beijinhos
http://www.deliriosdeconsumo.com/
Néia Lambert disse…
Patrícia, a arrogância tem estado tão presente na maioria das pessoas que isso até me assusta. O mundo precisa de ternura!

Beijos
Brunno Lopez disse…
'Sinceridade vista como grosseria'.

Nisso, você disse tudo. Esclarecedor.

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Um fuck pra sociedade!