E eu não entendo.


Jardim na Universidade de Guelph, Canada
Ah, essa vontade de pular para dentro de mim e viver o que estou sonhando acordada! Passo horas deitada na minha cama pensando em como gostaria que fosse. Levanto até feliz com a sensação de que tudo foi verdade. Tudo porque você me respondeu. Como se tivesse respondido "to indo". A esperança que nunca morreu. A vontade de te ver novamente. Não, não consegui te enterrar, por mais que eu afirme para mim mesma que sim. Parece que o brilho de seus olhos atravessa qualquer quantidade de terra que eu venha a colocar em cima de ti. Parece que mesmo que se passem anos, você vai estar escondido em um cantinho do meu coração. E eu ainda não entendo porque você teve tanto efeito na minha vida. Porque você permanece depois de tanto e tantos. Vai ver é porque esses tantos não foram tanto assim, foram nada. Vai ver é porque não se passou tanto tempo assim. Vai ver é porque sua tranquilidade aliada a minha inquietação somaram-se em um equilíbrio que me faz falta.



Mais de 10000km.

Mais de 400 dias sem te ver. 
Saudade que enche o peito.
E eu não entendo.

Comentários

Alê disse…
Entendo essa falta,
Be Lins disse…
As faltas,as inquietações,
a vida exige tantos e tanto da gente,né?
mas a gente continua semeando.

Feliz Dia das Crianças,Patricia!
Luna Sanchez disse…
Se a gente pudesse contar o tempo em suspiros...

=*
Gabriela Freitas disse…
Ual, que texto intenso. Essa falta machuca, não é ? fique bem
A.S. disse…
Patricia,

Quanto maior for a ausência mais intenso será o momento do reencontro!...:)***


Beijos,
AL

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Um fuck pra sociedade!