A festa

Como pode se passar uns 18 anos e certas coisas não mudarem?
Eu sou tímida, sempre fui. E algumas coisas na vida contribuíram para que eu não confiasse no meu taco. O dobro da inibição. 
Naquela festa que teve na escola eu fui o centro das atenções. Sempre odiei ser o centro das atenções. Fui a aluna nova da escola dezenas de vezes e embora nos filmes americanos seja o sonho de qualquer adolescente, para mim era o verdadeiro pesadelo.
Voltando à festa. Sabe-se lá Deus o motivo, mas tinha alguns meninos que queriam dançar comigo. E é claro que eu queria dançar com apenas um. E mais claro ainda que justo esse um não queria dançar comigo. É ótimo levar um fora na frente da sala toda. Que é óbvio prestava muita atenção em mim naquele dia. Entenderam porque eu detesto ser o centro das atenções? Nem todo mundo precisa ver o fora, já é humilhante quando ninguém vê.
E na minha vida sempre foi assim. Quando eu resolvo assumir que eu estou a fim de X e fazer algo... boom! Tomo um banho de água fria. Por que será? 
O tempo passa e as situações se repetem.
Última festa. Eu acho uma pessoa interessante. Tenho vontade de conhecer melhor (não, não levem para o outro lado ainda). E em uma dessas raras ocasiões em que me dá a louca, decidi ir convidar para dançar. E nem me toquei que estava fazendo isso na frente de uma mesa inteira que olhava para mim. E é claro que levei um não. Só não acabou comigo porque eu estava me sentindo poderosa, toda maquiada, com um vestido lindo... e tenho  ligado cada vez menos para o que as pessoas estão pensando. Nem esse olhar adiantou...


Bom, pelo menos eu tentei. Pelo menos não passei a noite e a manhã seguinte pensando no que teria acontecido se eu tivesse tentado. Não sei responder se as impressões sobre ele estão certas, nem sei o motivo e é melhor não pensar nisso. O bom de envelhecer é isso, parei de ficar tentando achar explicações para certas coisas. E não me deixei abater... Passei a noite me acabando de dançar na pista, tentando ficar bêbada (não rolou porque a gastrite, novo passageiro, não deixou), cantando e ainda peguei o bouquet! UHU!


Sou competente em algumas coisas. Definitivamente não na arte da sedução.
Acho que nunca mais vou me atrever a convidar o sexo oposto pra nada. Não nasci pra isso. Definitivamente. Devo ter nascido para ser conquistada. Agora que peguei o bouquet, espero alguém vir me perguntar. Porque eu não pergunto mais nada! Ou pergunto? Acho que gostei de tentar...


Nem sei porque escrevi sobre algo tão pessoal de forma tão direta aqui. Geralmente coloco muito mais imaginação. Muitas vezes é só imaginação. Que sirva para algo para alguém! Pensei até em não publicar, afinal, nem é um texto bonito, tá parecendo um diário de uma adolescente hahaha Mas, como minha amiga Le e eu dizemos, AZAR! Aí está...

Comentários

Madame disse…
Pior que kevar um nao é nao tentar, pelo jeito vc saiu da fase de arrependimento e entrou na fase da coragem, e isso foda mas vc conseguiu.
Um dia chego la!

Sobre o mane nao dancar com vc, é um troxa, pq se eu fosse ele nao ia perder esses olhos JAMAIS hehe.

bjus
Valéria Sorohan disse…
Seu encanto é assim, maravilhoso! Só o bobo que não aceitou dançar contigo que não enxerga. Vem, faz festa e nos deixa com os olhos brilhando. Delícia ler vc! Sempre. Um beijooO*
Luna Sanchez disse…
Rs

Já eu adoro conquistar. Gosto de ser conquistada também, claro, mas gosto de participar do processo, de corresponder, instigar, incentivar...

É da minha natureza.

Um beijo, flor.

Lindas as fotos, linda tu.
Leroi disse…
Boa narração, bem divertida.

Eu era muito inibido também, só resolvi depois de um curso de teatro. Mas já se passaram anos...

Inté!
Unlucky disse…
wow very nice blog this is, in all posting you have wonderful picture's in all picture you look very beautiful. thanks for sharing this picture to all your visitor

In a Hindi saying, If people call you stupid, they will say, does not open your mouth and prove it. But several people who make extraordinary efforts to prove that he is stupid.Take a look here How True

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Desconstruindo