A importância que damos às pessoas

O difícil da convivência, ou melhor, uma das coisas difíceis, é que nem sempre as pessoas se dão a mesma importância. E o que dá mais importância sempre sofre... porque espera sempre mais ou algo diferente.
Por tantas que passei resolvi não dar tanta importância a certas coisas, como por exemplo datas. Nunca foi algo que me chamou atenção pra falar a verdade. Porque o que realmente me fascina é alguém fazer algo especial para mim quando não espero. A gente espera presente no aniversário, mas em um dia qualquer, só porque a pessoa viu algo que sabe que você gosta, é algo especial. Nem precisa ser algo grande, caro, fantástico... é o significado. No entanto, sempre esperamos que algumas pessoas, determinadas pessoas, deem importância a determinadas coisas. No dia certo. Não deixem para depois.
E aí me sinto mal. Porque os últimos anos da minha vida tem sido, como eu poderia definir? Imprevisivel? É, acho que pode ser assim: imprevisível sobre onde estarei e quando. Mesmo querendo estar em um determinado lugar em uma determinada data. E isso significa que não estive em alguns lugares quando eu queria e perdi datas importantes. E pode ser que eu não tenha demonstrado direito o quanto eu sentia muito. Porque eu tentei fazer o "quando" eu podia estar lá mais especial do que as datas que são especiais para todo mundo, na minha cabeça, para EU não sofrer tanto. Como posso ficar magoada com algumas coisas então? (Eu tenho mania de achar que eu não tenho o direito de ficar magoada, nunca)
Assim como eu fico meio distante das pessoas, na minha cabeça, porque logo irei embora. E aí eu me surpreendo com a importância que algumas pessoas me dão. E aí eu me pergunto se mereço. E aí eu também me pergunto o que eu fiz para isso acontecer. E finalmente me pergunto se eu correspondo corretamente, se demonstro o que sinto, porque, afinal, essas pessoas são importantes para mim, muito, mas na minha cabeça tento não sofrer, não morrer um pouquinho, todo dia, com a saudade.
Acho que eu tenho demonstrado meus sentimentos mais do que demonstrava. Talvez seja hora de demonstrar também o que é importante para mim, não só aceitar o que vem, sem questionar, sem mostrar que também fico magoada. Afinal, não é por causa da minha vida cigana (que um dia acabará) que eu tenho que me sentir culpada e não "exigir" nada, viver de restos. E também limitar meu amor e meu carinho, junto com as demonstrações desses sentimentos, pelas pessoas.

Sempre tentamos criar barreiras (INÚTEIS) contra a mágoa, a tristeza e a saudade ruim.
É difícil julgar, mas temos que dar às pessoas a importância que elas merecem pelo papel que desempenham na sua vida. Fazer coisas que são importantes para elas, mesmo que essas coisas não signifiquem nada para você.


Comentários

αmαndα ツ disse…
Oi! Boa tarde! Como vai?
Passando para convidar este blog lindo a participar da promoção que está rolando lá no blog!

Espero que participe! Quero ver você por lá, ok?
Beijinhos,
Valéria Sorohan disse…
É tão bom quando somos surpreendidas sem nenhum dia especial. E não gosto de verbo na terceira pessoa.

BeijooO*
Tatá disse…
acho que importancia deve ser dada ao que, a n osso ver, vale a pena, mesmo que depois, percebamos que não merecia. Não podemos nos fechar totalmente. É preciso sempre manter uma brecha aberta.
Cadinho RoCo disse…
Devemos estar sempre de bem com nossa autoestima.
Cadinho RoCo
Rubens disse…
Sartre Bendito seja! Já dizia em sua filosofia "Quem ama mais sofre mais""Projetamos nos outros o que achamos que fariamos pelo outro" por isso estamos sempre esperando algo do outro. São as relações uma relação requer sempre algo em troca. E o que pedimos! Não sabemos, mas esperamos sempre. Temos a liberdade para esperarmos, mas essa liberdade custa muito caro, caso não seja correspondida gera angustia, tristeza e frustração, mas fazer o que se somos humanos, o existencialismo é humanismo. Um dia quem sabe seremos independentes! Quem sabe?

Postagens mais visitadas deste blog

página em branco

Um fuck pra sociedade!