De lundi (segunda) até o momento…



Melhorei! Passou aquele sentimento ruim. Estou me sentindo alegre, curiosa e curtindo em estar aqui, como eu me sinto eu todo lugar novo. Provavelmente era TPM associada a dificuldade do início e ao impedimento lingüístico.
Fomos (Selin, Felipe e eu) novamente a plantação de kiwi na segunda. Lotado de abelhas. Das abelhas que não preciso (risos)! Só vimos uma Bombus (mamangava de chão) e ela passou bem longe do meu aparelho. Hora de almoçar. Fui com Selin (não sei se é assim que escreve, que vergonha!) comprar algo para comer em um vilarejo. Tão, mas tão fofo! Tudo antigo, ruas estreitas, parecia coisa de filme da época medieval ou algo assim. Tentamos alguma padaria (boulangerie), mas nos lugares pequenos os estabelecimentos fecham na segunda. Olha só não é só lá no fim do mundo do norte do Canadá! Conseguimos comprar em um supermercado no meio do caminho, mas foi por pouco, ou melhor, porque a moça foi legal em deixar a gente entrar porque fechava 12h. Pagamos a conta 12:04h com a pessoa reclamando já. Tá valendo!
Foi como fazer um picnic. Conversamos bastante até. Existe um xarope aqui, que nem groselha, só que de vários sabores. Tão bom! Quero tentar levar um de menta! Adorei!
Depois que acabou a bateria do laser eu fiquei lá de bobeira. Conversei um pouco com o Felipe e ai fiquei sentadeitada em uma cadeira tipo rede só pensando, sentindo o vento gelado e o calor do sol, ouvindo uns pássaros, vendo as flores de kiwi e o céu azul. Foi bom relaxar. Fazia tempo que eu não conseguia, podia deitar e ficar sem fazer nada, mas a mente ainda continuava a pensar em tese. Vai ver é porque ela está até que bem adiantada. E assim foi até Selin terminar a parte dela.
Eu gostei muito do caminho para a plantação: as montanhas rochosas, as casas, a estrada, as árvores. Mas, apesar de achar bonito, não consigo parar de perguntar: Por que diabos tudo é tão bege? As casas são todas em tons de bege, o mais diferente que vi foi um salmão fraco. O solo é bege ou areia ou gelo, sei lá, é um bege bem claro. As montanhas rochosas são bege. Tudo bem que algumas casas são de pedra ou barro, sei lá, deve ser algo tirado do solo, mas ninguém gosta de pintar a casa de outra cor não? Tipo amarelo, azul ou mesmo branco? Ou é lei? (risos)
Depois disso meus dias tem sido: moradia à laboratório à cantina à laboratório à moradia. Tese, tese e um pouco de distração (internet, seriados [iha! minha querida Le e meu querido Bru colocaram no Google docs pra mim], comer e jogar plants VS Zombies). Tenho ido almoçar com algumas pessoas aqui do laboratório. As pessoas estão falando mais comigo e agora eu até consigo um diálogo em francês no início. Coisa básica de oi, tudo bem, bem e você, bom dia, boa tarde, boa noite, até amanhã, bom apetite. Depois tem que ser inglês mesmo... ou mímica!
Gosto da comida e, principalmente da sobremesa (risos). Nas duas primeiras vezes eu não peguei sobremesa. Olhava e pensava que precisava me controlar. Na terceira eu olhei a bomba de chocolate e não teve como resistir, parecia tão suave. E era! Massa levíssima, recheio suave, do jeito que eu gosto. Doce sem ser muito doce. Hoje olhei e pensei que precisava maneirar. Dois segundos depois eu pensei AZAR! Estou na França por pouco tempo, não sei quando volto, se volto, então eu tenho mais é que curtir. Lembrei do meu irmão falando hoje que depois eu voltava para malhação. Aí comi um pedaço de torta de framboesa. Aquelas framboesinhas em cima da massa fina, tão bonitinhas! Azedinhas! Com leite condensado em volta. Desculpa ai se te deixei com lombriga (risos).
Ah, tenho que contar! Ontem fui no supermercado e foi engraçado na hora de pagar a conta. Paguei um mico também. Apesar de que eu não vejo como mico e sim como aprendizado e depois eu fico um tempo rindo de mim mesma. ADORO! Eu comprei um pacote de cebola. Eu sabia que você mesmo que pesava, mas achei que como era um pacote, todos os pacotes tinham 4 cebola do mesmo tamanho praticamente e estava escrito só 1,99, que esse não precisava. Bom, eu só tinha duas coisas na mão e todos os caixas estavam lotados. No caixa rápido para menos de 10 itens é você quem passa a compra. Tá, no Canadá tinha isso também e era fácil. E a máquina aqui tinha a opção inglês. Beleza! Passei a cebola e nada. Apareceu o preço, mas não conseguia passar o outro item e não aparecia nenhum aviso na tela. De repente a ajudante começa a gritar e uma luz a piscar no caixa que eu estava. Olhei para ela e entendi que era para eu colocar na balança (que só vi que era uma balança porque ela apontou) pelas duas palavras que consegui entender (madame e balance). Tá, coloquei e passei o outro. Apertei o pagar, selecionei a opção (nisso a moça ficava olhando pra mim) e passei o cartão. Aí a luz acendeu de novo, eu sem entender nada e nenhum aviso na tela (mas que porra de negócio mais estúpido). A moça veio e disse “bututusieiurw bla bla bla ui irie”. Eu não entendi e fiquei na minha. Ela me deu o papel para assinar, eu assinei, agradeci e fui embora tentando colocar as coisas na mochila. E a moça olhando para mim. Devia estar pensando “que pessoa atrapalhada” ou algo assim, ou pior (risos). Pelo menos dessa vez ela tinha que vir mesmo porque precisava do papel do cartão, não foi culpa minha (risos). ADORO! Agora já sei como funciona.
E ainda estou esperando fecharem as estufas com tela para colocar as abelhas lá e começar a gravar a vibração das mini bicho de pelúcia!

PS: Mais fotos no facebook... link na postagem anterior!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Um fuck pra sociedade!