Devaneios de bióloga 3 - A contradição entre biologia e romantismo

Butterfly Conservatory - Niagara Falls, Canadá
O amor é o recurso mais lindo da natureza para garantir a reprodução da espécie. No final tudo se resume em reproduzir-se.







Naqueles dias nos quais dá uma vontade louca de amar. Viver por uma pessoa além de si mesmo. Beijar a boca. Acariciar os cabelos. Ficar horas se lembrando do sorriso. Sentir, sentir e sentir. Se entregar ao toque. Àquela pegada pelo cabelo atrás da nuca. Amolecer naquele chega pra cá de tirar o fôlego. Ah, o amor, a paixão! O que fazer naqueles dias quando se quer mas não há quem amar?

Comentários

Luna Sanchez disse…
Adoraria saber responder.

Beijos.

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Desconstruindo