... e o escuro do asfalto.

"And I do believe it's true that there are roads left in both of our shoes"
(Death Cab for Cutie - Soul meets body)

E há uma estranha paz em dirigir nas ruas vazias da madrugada. Sozinha. Eu, minha música, as luzes dos postes e o escuro do asfalto. O barulho do pneu passando pela água que caiu do céu na abençoada chuva que acalma a alma. O controle de tudo nos seus pés e nas suas mãos. Sentindo o acelerador na sola do pé vem uma vontade de acelerar para o futuro. Ao sair do semáforo que estava vermelho, acelerando, trocando as marchas, o ilusório controle de alguma coisa. E a lembrança de que quase nem controlamos nossas vontades. Fazemos o que podemos em busca dos sonhos. Enquanto a rua sem outros carros é como uma vida sem obstáculos, a lombada me lembra que os obstáculos nos fazem desacelerar, mas nunca parar. Me lembra que é preciso estar atenta. E a aceleração que vem depois é tão boa. Se libertar, cumprir, viver. Adoro dirigir nas ruas vazias à noite. Só eu, o flecha de prata*, as luzes dos postes e o escuro do asfalto. Ao som do que quer que eu queira.

*É como apelidamos meu carro

Comentários

Alê disse…
Nossa!

Fiz isso ontem: voltei sozinha, da cidade vizinha, dirigindo numa BR escura, e ouvindo minhas músicas, pensando na vida e em paz,



Bjkassssssssssssssssss
Be Lins disse…
Como a maioria está dormindo, no abraço da madrugada tem mais lugar pra gente se esparramar.

Beijo Pati!

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Um fuck pra sociedade!