Qual a sua direção?

Tento encontrar nessa vida uma direção outra daquela que me dizem. Será que a vida é essa sequência linear que me mostram? Não, não pode ser! Com tantos caminhos, tantos sentidos, todas essas direções... A vida deve ser uma rede. E vou vivendo assim, com medo de não ser feliz por não seguir essa linha reta. Mas minha alma é do mundo. Minha alma não consegue se manter na direção em que todos estão indo. Minha alma é curiosa e quer descobrir o quanto puder! Sofro, pois não me adequo ao plano comum a todos. Me sinto diferente e somos programados a achar o diferente estranho. Não, não digo que sou especial, sou diferente. Todos são diferentes, mas poucos se aventuram a sair do plano comum. Vejo muita gente conseguindo seguir a linha. É difícil seguir a reta! Eu não consigo! E sofro. Sofro porque quase me convencem que não posso ser feliz assim. Mas eu sou. É como se a felicidade só existisse na gente se os outros a vissem. Se os outros a compreendessem.

PS: Por que a imagem do Bob Esponja? Essa imagem é do episódio que o Bob Esponja tenta ser normal... e tudo fica... sem graça! É muito bom: http://vimeo.com/39780759

Meu irmão me enviou esse texto, se encaixa tão bem!

“Admita.

Você não é como eles. Você não está nem perto de ser igual a eles. Ocasionalmente, você pode se vestir como um deles, ou assistir aos mesmos programas de televisão estúpidos que eles assistem, ou talvez até mesmo comer o mesmo ‘fast food’ que eles comem, às vezes. Mas parece que quanto mais você tenta se ajustar, mais você se sente um estranho, observando as ‘pessoas normais’ levando suas vidas automatizadas.

Para cada vez que você diz chavões do tipo ‘Tenha um bom dia’ ou ‘Que tempo feio que tá fazendo hoje, né?’, na verdade, você deseja ardentemente perguntar aquilo que não é permitido, como ‘Diz aí algo que te faz chorar’ ou ‘Pra que você acha que serve o ‘déjà vu’?’.

Encare o fato, você adoraria fazer perguntas inusitadas assim para aquela garota no elevador. Mas e se essa garota no elevador, e também aquele cara calvo que passa em frente ao seu cubículo no trabalho, estivessem pensando nessas mesmas coisas?

Quem sabe o que você pode aprender se tivesse uma chance de conversar outras coisas com um estranho? Todo mundo carrega um pedaço do quebra-cabeça. Ninguém entra em sua vida por mera coincidência. Confie nos seus instintos.

Faça o inesperado.

Encontre os outros…”

Timothy Leary

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Um fuck pra sociedade!