O coração é a besta mais selvagem entre as bestas selvagens...

A vida é incontrolável. A vida é uma besta selvagem. Vejo um bando de seres que mal controlam os atos. Me sinto um deles. E com a ilusão de que posso mudar minha direção, ando randomicamente à procura do amor. E às vezes me parece que procuram algo mais concreto, como o dinheiro, ou algo menos sofrido, como o prazer.
Sou um presente esperando para ser aberto. Quase nunca me aventuro a abrir um outro que passa por minha vida. Com medo. Naquele momento que o pacote se mostra tão lindo que me perco na tentação e abro. Nem sempre a embalagem corresponde ao interior. Foram as decepções.
De vez em quando me sinto aventureira bastante para abrir presentes por aí. Deles surgiram e surgirão amigos, paixões, amores, gente passageira. Gostaria de ser aventureira mais vezes.
E agora me pergunto que tipo de presente será você. É a velha tentativa sempre frustada de tentar prever as cenas dos próximos capítulos.
A vida é uma besta selvagem. Não pode ser controlada. E insisto nessa ilusão de controlar a vida. Quer prova maior do que o coração? O coração é a besta mais selvagem entre as bestas selvagens...
Já peguei meus sentimentos apaixonados e enfiei em uma garrafa de vidro, tampei com uma rolha e enviei para aquela pessoa. A garrafa voltou com um bilhete: "Querida Patrícia, os sentimentos vão para quem eu quero. Att., Coração".
O jeito é ir abrindo presente por presente até que a besta mais selvagem de todas encontre um lugar para enviar meu amor.
Vai ser o lugar certo? Não sei. Espero que seja. Quero que seja antes de eu perder essa capacidade de procurar.
Só sei que quando olhei para você senti algo familiar. Vontade? Premonição? Pressentimento? Who knows.
Enquanto eu flutuava na pista de dança, você olhando nos meus olhos, tocou aquela canção que me lembrou outra pista de dança*. Eu olhando os olhos azuis e pensando que logo o deixaria. Você então me deixou por uns instantes. Chequei as notícias e a primeira coisa que apareceu foi aquele olho azul... Coincidência? Poderia uma música marcar o final de uma história e depois o começo de outra diferente?
O coração é uma besta selvagem e brincalhona?
Só sei que a calma dos dois momentos é a mesma. E só sei que estou preparada para abrir um novo presente.

*http://www.youtube.com/embed/TZLv36LvRo8

Para a besta selvagem...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância que damos às pessoas

página em branco

Desconstruindo